hora de um poema

5
(6)

Postar foto: Desfrutando de um café | © Pixabay

Rainer Maria Rilke tem sido frequentemente um “convidado” aqui no blog porque seus poemas ainda são um prazer mesmo depois de mais de 100 anos e muitas vezes não perderam sua relevância. O poema abaixo talvez seja menos conhecido, mas um verso dele se tornou linguagem comum: “Se você não tem uma casa agora, não construirá mais nenhuma.” - pelo menos aqui no sudoeste, esta frase ainda é comum hoje.

Seu Livro de Horas, publicado em 1905, é provavelmente mais conhecido e contém um total de 134 poemas em três volumes. A grande vantagem é que nenhum dia de outono pode durar o suficiente para que você possa ler todos esses poemas. Mesmo assim, é sempre bom escolher um poema de Rilke e passar um tempinho com ele.

E hoje escolhi este poema do livro de poemas “O Livro das Imagens”, que também se adapta muito bem ao vento e ao clima de hoje. E como existe a Internet, você pode encontrar rapidamente outros belos poemas ou - melhor ainda - informações adicionais sobre o poema que acabou de ler.

Sempre fico surpreso com o que você pode colocar em três versos se for um bom poeta ou escritor. Mas mesmo isso pode ser melhorado, desde que você tenha as habilidades adequadas: os haicais japoneses são um bom exemplo disso. Meu poema favorito sobre um lago antigo também pode ser encontrado aqui no blog.

Os três versos de Rainer Maria Rilke mas eles já me deram o que pensar hoje. E assim que houver mais um pouco de sol, aprofundarei ainda mais esses pensamentos com uma caminhada. Se agora você quiser ler o poema abaixo, dê uma olhada no que pode ser lido e compreendido nesses doze versos.

Dia de outono

Cavalheiro: Está na hora. O verão foi muito grande.
Coloque sua sombra nos relógios de sol,
E nos corredores deixem os ventos soltos.

Ordene que os últimos frutos fiquem cheios;
Dê-lhes mais dois dias no sul,
Empurre-os para a perfeição e persiga
A doçura final do vinho pesado.

Se você não tem uma casa agora, não construirá mais.
Quem está sozinho agora permanecerá assim por muito tempo,
Vai acordar, ler, escrever longas cartas
E vai e volta nas avenidas
Vagueie inquieto enquanto as folhas flutuam.

Rainer Maria Rilke, O Livro das Imagens (1902)

A propósito, o nosso mundo seria um lugar muito melhor e mais adorável se, em vez de vadiar ou mesmo reclamar nas redes sociais, a maioria das pessoas escolhesse um poema e mergulhasse nele.

Seria ainda melhor se as pessoas trocassem ideias entre si sobre o poema que leram.


Quão útil foi esta postagem?

Clique nas estrelas para avaliar o post!

Classificação média 5 / 5. Número de revisões: 6

Ainda não há comentários.

Lamento que o post não tenha sido útil para você!

Deixe-me melhorar este post!

Como posso melhorar este post?

Visualizações de página: 61 | Hoje: 1 | Contando desde 22.10.2023 de outubro de XNUMX

Compartilhar: