hora de um poema

5
(10)

Postar foto: Desfrutando de um café | © Pixabay

Todos os alunos da oitava série de quem cuidei apareceram na sexta-feira passada com um poema do Advento que reconheci imediatamente. Este poema, que tem o nome simples de “Advento”, foi escrito por Loriot publicado pela primeira vez em 7 de dezembro de 1969 e, pelo menos na época, recebeu fortes críticas. Em 1971, o poema também apareceu como texto impresso em “Loriots Kleine Prose”.

Aprendi sobre o poema pela primeira vez em meados da década de 1970, quando minha irmã o trouxe da escola para casa. Entretanto a abordagem de todos a este poema deve ter sido um pouco mais descontraída, porque por um lado era material escolar e por outro lado ambos achámos bastante engraçado. Tão engraçado que recitamos juntos para nossos pais durante o Advento. É duvidoso que ambos percebêssemos o poder explosivo deste poema naquela época, mas uma coisa é certa: não demoramos muito para sermos capazes de recitá-lo de memória.

E é provavelmente por esse fato que o poema ainda hoje é distribuído aos alunos. Há, porém, uma diferença: se a execução do poema era graduada naquela época, era porque era possível não apenas recitá-lo na íntegra, mas também dar-lhe a entonação adequada - se possível também levando em consideração os dísticos e os iâmbos. .

Hoje, de acordo com a folha de texto distribuída, há 4 para o primeiro versículo, 3 para o segundo versículo, dois para o terceiro versículo e 1 para o quarto versículo. Os alunos não confiam mais no resto do poema! Os alunos que supervisionei só queriam tirar nota 4, consegui incentivá-los a tirar nota 3. E foi até possível considerar um 2.

O que me surpreendeu um pouco foi que nenhum dos alunos achou o poema engraçado. Quando lhes expliquei o significado do poema e, acima de tudo, traduzi as palavras mais difíceis para o alemão simples, eles acharam o poema nojento.

Quase 40 anos revelam uma enorme diferença entre as gerações de estudantes. E assim foi dos professores que escolheram este poema - provavelmente por ocasião do centenário de Bernhard-Viktor von Bülow (Loriot) — certamente bem-intencionado, mas infelizmente sem sucesso.

Agora espero que meus leitores gostem um pouco mais do poema. Enquanto isso, procuro não atrapalhar muito a minha cara-metade no que diz respeito aos cuidados domiciliares - que estão completamente fora de hora!

Advento

A noite é azul. As estrelinhas estão piscando. 
Pequenos flocos de neve afundam silenciosamente. 
No topo verde de Edeltännlein 
um pequeno canto branco se acumula. 

E lá, rompendo pela janela 
Uma luz quente preencheu a escuridão. 
Ajoelhado no alojamento do guarda florestal à luz de velas 
o guarda florestal no banheiro masculino. 

Nesta linda noite 
ela matou o guarda florestal. 
Ele era seu cuidado domiciliar 
tem estado muito no caminho há muito tempo. 

Foi assim que ela concordou consigo mesma:
Tem que ser na noite de Nicklaus. 
E quando o cervo foi descansar, 
o coelhinho fechou os olhos, 

Matou-os - logo pela frente 
– o marido acima de tudo. 
Acordado pelo estrondo, só o coelho fareja
duas, três, quatro vezes a cheirada. 

E continue a descansar docemente no escuro, 
Enquanto isso, as estrelinhas brilham docemente. 
E na sala lá dentro, 
o sangue do silvicultor corre daí. 

Agora o guarda florestal tem que se apressar 
dividir o marido de maneira limpa. 
Ela rapidamente o leva até os ossos 
partiu de acordo com o costume de Waidmann. 

Ela coloca membro por membro com muito cuidado 
– o que o marido evitou até agora –
Retém parte do filé, 
como um assado festivo. 

E faz as malas no final - vai para quatro - 
as sobras em papel de embrulho. 
Está tocando ao longe como sinos de prata. 
Você pode ouvir cães latindo na aldeia. 

Quem é numa noite tão profunda? 
ainda fazendo suas rondas na neve? 
Knecht Ruprecht vem com um trenó dourado 
montou em um cervo! 

“Heh, boa mulher, você ainda tem coisas? 
trazer alegria aos pobres?” 
A casa do guarda florestal está coberta de neve profunda,
mas a esposa dele já está pronta: 

“Os seis pacotes, santo homem, 
'É tudo que posso dar!'
Os sinos prateados tocam suavemente. 
Knecht Ruprecht inicia sua jornada. 

A vela está acesa na casa do guarda florestal. 
Uma estrelinha pisca: é Advento.

Loriot, 7 de dezembro de 1969

Quão útil foi esta postagem?

Clique nas estrelas para avaliar o post!

Classificação média 5 / 5. Número de revisões: 10

Ainda não há comentários.

Lamento que o post não tenha sido útil para você!

Deixe-me melhorar este post!

Como posso melhorar este post?

Visualizações de página: 57 | Hoje: 1 | Contando desde 22.10.2023 de outubro de XNUMX

Compartilhar: